sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Dia 8 - San Pedro de Atacama – Pukara Quitor, Valle de la Luna e Valle de la Muerte - 14/09/2013

Hoje acordamos as 7:00 da manha, o Hotel que estamos hospedado, Poblado Kimal é muito bom, tem estaciomanento para as motos, wifi e se parece com antigo povoado aborígene da região, mas com alto padrão, os quartos ou melhor chalés, são bem dividos, tem um bom quarto e um excelente banheiro, importante para quem viaja o dia todo e não ve a hora de um banho quente e de uma boa cama para descansar.

Saimos umas 9:00 do Hotel e resolvemos procurar uma agencia de turismo para fecharmos os passeios que faríemos por aqui. Decidimos fazer os mais conhecidos, o Valle de la Luna e Vale de la Muerte nesta tarde, na tarde do dia seguinte o Salar de Atacama e Toconao e por ultimo e não menos interessante os famosos Geisers del Tatio. Os passeios mais populares aqui são o Valle de la Luna e os Geisers, mas tem muita coisa para se fazer e conhecer ao redor de San Pedro. Desde visitas a museus arqueológicos até grandes escaladas aos vulcões ativos e inativos que existem na região, também é possível alugar bicicletas, motos, quadriciculos e jeeps para se conhecer a região com mais emoção. Passeios turísticos comprados, decidimos conhecer a cidade que não é muito grande.

A cidade tem uma rua principal chamada Caracoles, onde estão a maioria dos restaurantes, agencias de turismo, vendinhas, casas de cambio e lojas de artesanato. Esta rua tem uns 4 quarteiroes que são cortadas pelas outras ruas com atrações na cidade. Ao lado da Caracoles existe a praça principal que, como sempre, possui uma igreja, essa construída por volta de 1550, a sede da policia local (carabineiros), a prefeitura e um bar/restaurante na frente.












Um pouco mais pra cima da praça esta o museu de arqueologia Gustavo Lepaige, que foi um padre e um arqueologo amador muito famoso que passou 35 anos explorando a região e que possui inúmeros prêmios e reconhecimento mundial.
Todas as ruas são de terra, e praticamente todas as casas possuem bandeiras do Chile no alto, tiramos algumas fotos na praça, que tem show com musicos da regiao o dia todo e depois resolvemos conhecer o Museu Arquelogico. Em 1 hora é possível conhecer todo o museu e suas peças. Devido ao lugar ser muito inóspito nem os ancestrais foram capazes de deixar muita coisa pra gente ver.
Saimos do Museu e decidimos conhecer um dos 2 sitios arqueológicos que ficam ao redor de San Pedro, um a 5km e ou a 12km. Escolhemos o mais próximo, por indicação de uma agente de viagem,  chamado de Pukara de Quitor. E possivel, ir andanda, de bike, moto ou como quiser.

O lugar possui algumas ruinas de um povoado antigo e muita pedra. Existem 2 caminhos a serem percorridos la dentro. No primeiro caminho, é possível adentrar estas ruinas, que foram costruidas ali pois não existe acesso por outro lado a nao ser pela frente já que todos os outros lado dao para um penhasco, assim este povo, só precisava proteger uma entrada da cidadela. É de um monte de pedra amontoadas, que quem não entende muito da coisa, não tem muito o que ver.. O outro caminho, mais longo, leva até um mirante, lembrem-se que estamos a 2500m de altitude já e que qualquer 500 metros para se percorrer andando já tira um pouco o folego, também não tem uma vista fantástica, talvez porque já vimos tantas paisagens incríveis que será difícil mais alguma nos surpreender.









Voltamos para o Hotel e esperamos o ônibus para o passeio do fim de tarde, conhecer o Valle de La Luna. Achavamos que o Valle ficasse longe, mas fica a menos de 3 quilometros do Hotel. Tambem e possivel ir de qualquer forma. O lugar é uma quebrada, lugar bem inóspito, com muitas rochas e sal, sem vida alguma. Segundo o guia o lugar mais inóspito do mundo. Visitamos um lugar onde ficam as 3 marias, são 3 pedras que lembram de longe 3 pessoas. Com certeza quem inventou essa devia ter usado muita folha de coca ou algo mais forte...rsss










Depois das 3 marias, visitamos uma pseudo caverna, mais um buraco entre as rochas do que uma caverna de verdade. Saindo da “caverna”, fomos ao Valle de la Luna, é chamado assim pois lembra o solo lunar, segundo o guia a NASA já fez vários testes e treinamentos com seus astronautas no local.











Saindo do Valle de La Luna, fomos conhecer o Valle de La Muerte. O Vale se chamava Vale de Marte, mas com o tempo e o sotaque da pessoas que o visitavem, acabou se tornando vale da Muerte, pela similaridade das palavras Morte e Marte. O nome também tem relação com o relevo que como dizem se parece com o encontrado em Marte.










Depois dode visitar os dois vales, fomos a um local bem alto, onde eh possivel ver o Valle de La Luna de cima com uma visão panorâmica de toda a região de Sao Pedro, com todos as montanhas e vulcões, inclusive o Licancabur, o projeto ALMA, maior projeto de estudos astronômicos e com os maiores e mais poderosos telescópios do mundo. Neste local tem uma pedra que é possível tirar uma foto como se estivesse se jogando no penhasco. A pedra tem o nome de pedra do coiote, pois lembra a pedra em que o Coiote ficava observando um grande vale no desenho do Papa-Leguas.














Voltamos para o Hotel tomamos um banho e fomos jantar. Escolhemos o La Casona, um excelente restaurante de comida típica Chilena localizado na Caracoles. Comi um Conchito, carne de cervo com purê de batatas e tomamos um vinho chileno (Cabernet Sauvignon).

Depois decidimos passar num bar para saber como era a noite aqui de San Pedro. Entramos num bar chamado Export. O bar tem um ambiente bem legal, “cool”, com um bar com uma bancada bem ao centro e mesas em volta, bem ao estilo brasileiro, a decoração é bem interessante e a musica muito boa, rock internacional. Agora as pessoas, me senti em um outro planeta, como se estivesse no filme Starwars, pois tinha gente de todos os tipos e de todos os lugares. Segundo os locais, é o lugar mais animado da cidade. Aqui em São Pedro, não é permitido “bailar”, musica alta e vender bebidas alcoolicas após a 1:00h da manha, é considerado crime e os carabineros fazem ronda pelas ruas o tempo todo.
Ficamos por uns 10 minutos no bar e voltamos para o Hotel para dormir. Amanha de manha será livre para descansarmos e colocarmos todas as fotos, vídeos e o diário em dia. Arrumar um pouco a bagunça das malas e lavar algumas roupas. Ah, como o Wlamir Panko diz no blog dele, seu tênis depois de uns dias aqui em São Pedro nunca mais será mais o mesmo, é difícil tirar a areia fina e cinza que gruda nele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário