sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Dia 6 - Salta - Purmamarca - 293Km - 12/09/2013

Hoje acordamos mais tarde pois estávamos cansados do dia puxado de ontem e também porque hoje a quilometragem seria mais baixa, aproximadamente 300km.

Saimos de Salta por volta das 9:30hs por uma estrada paralela, secundaria, muito bonita, sentido La Caldera. No percurso uma serra cheia de curvas e paisagem deslumbrante do vale. A estrada tem mais curvas do que a estrada que pegamos na região de Tafi Del Valle e Cafayate e por mais que sejam 2 pistas, uma que vai outra que vem, só é possível passar um carro de cada vez. Se puderem, peguem esta estrada para Jujuy, vale muito a pena.











Apesar do trecho ser mais curto, como é um trecho mais sinuoso, a viagem deve durar aproximadamente o mesmo tempo da estrada principal.



No caminho, além de belas curvas e paisagens pegamos também vários animais e cruzamos com muitos peregrinos.











Nesta época em Salta, existe uma comemoração religiosa e é comum encontrar peregrinos pelo caminho, geralmente a pé ou a cavalo e pessoas dando suporte ou mesmo curiosos. Durante o percruso eles vão cantando, levando faixas e carregando imagens de santos.

Chegando em San Salvador de Jujuy, uma cidade interessante, rumamos para centro para conhecer a cidade e descobrir um restaurante de comida tipida. Quando estávamos parados lendo o mapa, um senhor de carro parou ao nosso lado e perguntou se precisávamos de ajuda. Dissemos que estávamos procurando um bom restaurante de comida típica e ele nos indicou o restaurante Viracocha. Excelente indicação com pratos e atendimento exemplar, bem no centro da cidade. Quem passar por aqui e quiser almocar na cidade recomendo.

Comemos de entrada uma empanada de carne e um entrada portenha (uma porção de queijo de cabra, milho e batata). O prato principal foi Lomo de Llama picante, é a carne de llama com arroz, cebola, berinjela e um tempero apimentado. A carne de Llama lembra carne bovina e o picante não era tao apimentado assim. Tiramos algumas fotos e seguimos viagem.




Saindo de San Salvador de Jujuy e pegamos a Ruta 9 sentido Humahuaca.  Estrada linda, com varias paisagens de montanhas, vales com rios secos ao centro. No caminho passamos por Tilcara e chegamos a Humahuaca, um vilarejo antigo, parece indígena, com muitos turistas e um grande monumento no centro da cidade (Quebrada Humauaca).











Demos uma volta, tiramos algumas fotos e compramos folha de coca. Dizem que a folha, quando mascada, ajuda a reduzir o mal da altura. Vamos usar amanha na subida para o Paso de Jama na divisa da Argentina com o Chile no Andes. Dizem que é para mascar, se tomar o chá não funciona pois o organismo absorve rápido e o efeito dura pouco. Toda esta região de Tilcara e Humahuaca e seus vilarejos ao redor são tombados como patrimônio mundial da humanidade.
Quem chegou até Purmamarca e vai subir para o Paso de Jama deve prolongar um pouco a viagem e conhecer estes lugares, até por que é bem próximo.








Saindo de Humahuaca voltamos para Tilcara e abastecemos as motos.. Não deixem de abastecer em Tilcara. Só existe mais um posto em Susques, que falta gasolina muitas vezes e outro já no Paso de Jama.


Chegamos em Purmamarca as 17:30. Mais um vilarejo como os da região de Humahuaca e Tilcara, mas com um centrinho mais animado, uma feira de artesanato grande, uma praça e muitos bares, cafés e restaurantes com musica e comidas típicas ao redor. Vale a pena ficar em Purmamarca, bons hotéis, boa comida e como já estamos a 2500m de altitude o corpo já começa a se acostumar com a altitude e se preparar para  enfrentar os 4900m na travessia dos Andes.

Ficamos no Hotel  Los Colorados Cabanas, até aqui o melhor hotel que ficamos por incrível que pareça. O Hotel fica encravado no morro 7 cores, ponto turístico da cidade. As cabanas são bem aconchegantes, como um flat, possuem sala com lareira, cozinha, um quarto para casal ou 2 camas de solteiro e um bom banheiro. O Hotel também possui estacionamento, internet, café da manha e ainda uma hidromassagem no final do Hotel colada no morro.
Assim que chegamos no Hotel fizemos uma manutenção rápida nas motos e precisei completar o nível do oléo com meio litro.

Tomamos um banho e saímos para jantar. Escolhemos o restaurante que estava mais cheio e com musica ao vivo. O restaurante se chama Terra de Colores, tem musica ao vivo com músicos da região, comi novamente llama e tomamos um vinho Torrontes, tipico da região, para experimentar. O vinho é branco, bem suave, lembra um pouco o vinho Frascati italiano.


Nenhum comentário:

Postar um comentário