sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Dia 19 - Cordoba - Uruguaiana - 850Km - 25/09/2013

Hoje o dia foi cheio de emoções e o mais mais longo de estrada que pegamos até aqui. Acho que será o mais longo da viagem, percorremos uma pouco mais de 850kms.

Saimos de Cordoba as 8:30 da manha e resolvemos abastecer as motos assim que saíssemos da cidade, queríamos adiantar um pouco a viagem pois o dia seria longo e perderíamos 1 hora devido ao Fuso Horario de onde estávamos para onde iriamos dormir.

Pegamos a Ruta 19 saindo de Cordoba e logo na saída da cidade muitas reformas na pista, ficamos parados por algum tempo e decidimos cortar pela grama, entre as cercas e o acostamento para ganhar tempo ou não perder ainda mais. Vantagem de estar de big trail, da pra andar em qualquer terreno.

Pegamos trechos com reformas, desvios e pista ruim quase que todo o tempo. O trecho de hoje foi o pior que pegamos até aqui. Pista simples, bastante trafego, muitos pássaros e muito remendo e buraco no asfalto.

Este trecho da ruta 9 corta vários vilarejos que deixam a viagem um pouco mais lenta. Aproveitem para abastecer a moto nestas cidadezinhas. Na estrada, fora dos povoados, não existem muitos postos.
Quase chegando em Santa Fé, a estrada melhorou um pouco, eram 13:00hrs e aproveitamos para comer um negócio rápido na Choperia Santa Fé, fica numa das ruas principais no caminho que estávamos seguindo para Parana. Como estava cheio e parecia rápido, resolvemos parar. Comemos 2 bifes a milanesa com batata e seguimos viagem. Dica, parece que o frango aqui é excelente, vi mais de 20 saindo da cozinha para as mesas ao lado. O lugar é legal, vale a pena para quem tiver de passagem.

Saindo de Santa Fe a estrada melhora, pegamos uma ponte bonita e bem grande por cima de um rio e alguns quilômetros a frente um túnel que liga as cidades de Santa Fe e Parana.
Pegamos alguns pedágios no caminho, alguns pagavam, outros não. Teve um que o espaço para as motos passarem ficava do outro lado da pista, na contramão.

Saimos de Santa Fe pela Rota 12 e depois entramos na Ruta 127 que leva até o Paso de Los Libres.

Antes de chegar a ruta 127 achei que já tivéssemos passado do ponto para pegar a rota e voltei uns 3 quilometros até me achar novamente. Acabei tendo esta impressão pois comecei a ver placas para Corrientes e não via nenhuma dizendo ruta 127 ou Paso de Los Libres. Fiquem tranquilos, quem passar por aqui pois é bem sinalizado.

Neste momento, quando parei a moto no acostamento para ler o mapa, o Glauco parou a moto dele ao meu lado e quando foi colocar o pezinho....bummm...foi pro chão. Ele parou exatamente em cima de uma lamaçal e quando foi por o pezinho da moto e o pé os 2 afundaram e a moto foi pro barro, literalmente.

Bom, levantamos a moto, nada de mais, apenas muito barro em toda lateral esquerda da moto. Parecia que fez um rally...nos achamos no mapa e seguimos viagem.











Na rota 127 tambem não existem muitos postos, então quando avistarem um posto, aproveitem para abastecer. O dia começou a escurecer e ainda estávamos vem longe do nosso destino, aprox. 250km de distancia. Paramos para abastecer as motos e o Glauco aproveitou para tirar um pouco do barro da moto e eu para colocar a viseira transparente já que viajaríamos a noite. Não recomendo, não faço isso, mas desta vez não teve jeito.

Começamos a rodar a noite, estrada toda cheia de buracos, remendos, os pássaros voltando para casa e atravessando a pista. Alguns bichos mortos já na estrada e tínhamos que desviar, parecia vídeo-game...rss. La pelas 20:00hrs num trevo em reforma, onde a ruta 127 cruza com a ruta 14, pegamos o sentido errado e só percebi uns 22 quilometros a frente quando comecei a ver placas de uma cidade que nao estava em nosso caminho original, as cidades eram Monte Caseros e Curuzú Cuatiá. Fizemos o retorno, mais 22 quilometros retornando, neste caminho já eram 20:30, estrada de esfalto ruim, varios trechos de terra e muitos caminhões, uma aventura de verdade...rs. Chegamos novamento no trevo onde erramos e achamos a passagem para a 127 sentido Paso Los Libres. Bem no trevo também tinha um posto e aproveitamos para abastecer novamente. O Glauco só tinha mais 50km de autonomia. A moto dele tem o tanque maior do que o da minha, 33litros contra 20, mas no ultimo posto ele não completou o tanque.

Em todas as estradas na Argentina, existem muitos postos policias, geralmente ele ficam na entrada ou saída das cidades que beiram a estrada ou uns 50km antes ou depois de grandes cidades. Desta vez fomos parados 2 vezes mas sem surpresas, apenas pediram os documentos da moto, o os nossos e fomos liberados. Nos 2 ainda era dia. Realmente como muitos falam, neste trecho os policiais param muita gente, felizmente não tivemos problemas com nenhum.

Seguimos na 127 por mais 120km até chegarmos a fronteira. Sensação de alivio, de desafio cumprido e de estar realmente vontando pra casa. Não sei se isso é bom ou ruim. A vontade que tenho é de continuar em cima da moto. Apesar de ter pego um dia complicado e uma quilometragem alta, não me sinto cansado.

Chegamos a fronteira e paramos as motos para fazer todo o tramite de saida da Argentina e entrada no Brasil. Estavamos praticamente sozinhos, já eram 22:00hrs. Tudo deve ter levado 10 minutos, atravessamos uma grande ponte e pronto, já estávamos em Uruguaiana - Terra Brasilis.

Fomos até o Hotel Presidente, bom hotel, talvez o melhor da cidade. Deixamos as coisas e fomos direto, com as roupas de moto mesmo jantar. Jantamos num restaurante na praça principal da cidade, e nao por coincidencia o nome era Restaurante da Praca. Me pareceu ser também o melhor da cidade. Lugar bem montado, bom cardápio e atendimento. Escolhi o rodizio do dia que era de carneiro, pois adoro e já estava morrendo de fome...rss. O Glauco escolheu uma massa pois já estava a 3 ou 4 dias só comendo carne. Voltamos para o hotel umas 23:30 e fui dormir do jeito que estava, sem banho, sem baixar fotos, vídeos e arrumar as coisas....






Nenhum comentário:

Postar um comentário